Solos

Os solos pedagogicamente podem ser divididos em dois horizontes:

A camada superior do solo conhecida como horizonte A é mais escura, contendo maior concentração de matéria orgânica, argila e minerais insolúveis, como quartzo. Os minerais solúveis foram lixiviados nesta camada.

No horizonte B o substrato rochoso encontra-se levemente alterado, fragmentado e misturado com a argila que é resultante do intemperismo químico. A transição entre estes horizontes, geralmente é indistinta.

Tipos de solos


Com base na sua mineralogia e composição química, relacionando-se com o clima, são classificados 3 grupos de solos.

1 – Grupo de solos pedolfer - Solos característicos de regiões com chuvas e temperaturas moderadas. Dependem do clima, do tipo de rocha-matriz e do intervalo de tempo que o solo teve para se desenvolver e espessar. Estes solos contêm abundantes minerais insolúveis, como o quartzo, argilominerais e produtos de alteração do ferro.

2 – Grupo de solos lateríticos - Originam-se em climas quentes e úmidos onde o intemperismo é intenso e os solos tornam-se espessos, desenvolvendo uma vegetação diversificada. A umidade, temperatura alta e abundância de vegetação aceleram o intemperismo químico da camada superior do solo. Os minerais solúveis da rocha são lixiviados resultando no laterito, que é um solo vermelho espesso, rico em óxidos de ferro e alumínio e hidróxidos.

3 – Grupo de solos pedocal - Característicos de climas secos onde a escassez de água e a ausência de vegetação dificultam o intemperismo, de modo que, os solos nestas regiões são delgados. Por isso os solos do horizonte A contêm muitos minerais inalterados e fragmentos da rocha-matriz.

Solo Residual


Solo Residual é um material derivado do intemperismo da rocha e que não foi transportado de seu local original, ou seja, a decomposição do material é “in situ”.

Solos orgânicos



Os sedimentos de origem orgânica geralmente não são transportados por se formarem em água estagnada. Quando a vegetação se decompõe, pode-se ter a turfa, se ela for inundada por água contendo material de solo em suspensão, a matéria vegetal será misturada com estes sedimentos, dando origem ao que denominamos argila orgânica.

Solo transportado


São aqueles que foram erodidos da rocha-mãe, transportados e depositados em outro local. Os agentes de transportes podem ser o vento, a água, o gelo e a força da gravidade:

Vento:

Erode a rocha e transporta os sedimentos para outro local. A quantidade de material que o vento pode transportar dependerá da sua intensidade e do tamanho das partículas.

Água: 

É o principal agente mecânico da erosão. Quando escorre na superfície da terra age como uma lâmina fina e plana, sendo que sua espessura e continuidade dependem da declividade do terreno, quantidade de chuva, taxa de infiltração e quantidade de vegetação. Seu principal efeito erosivo nos rios é nas margens e no fundo, enquanto que nos lagos e no mar, o agente de erosão é as ondas e as correntes.

O tipo e tamanho de material transportado dependem do volume e da velocidade da água. A deposição destes sedimentos ocorre quando há diminuição do fluxo e da velocidade da água. Quanto menor esta velocidade, mais fina será a granulometria das partículas depositadas.

Gelo: 

Quando uma geleira avança, ela arranca e tritura blocos de rochas, carregando estes materiais, e quando ela recua deixa sedimentos de diversas granulometrias há até vários quilômetros da rocha-mãe.

Força da Gravidade: 

É um agente secundário e atua principalmente nos taludes íngremes. A distância em que o material é transportado depende da declividade do talude, coeficiente de atrito e da quantidade do material que se move.